homecontato

Giras de Umbanda

 

Muitas palavras utilizadas na ritualística da Umbanda são de origem: africana, como o yorubá ou bantu; indígena, vindas do tronco tupi-guarani e de palavras que surgiram da mistura ou combinação das duas anteriores, que se tornaram um dialeto diferenciado de uso popular e simples.
Para a reunião de pessoas que realizam um culto religioso para o contacto com o sagrado deu-se o nome de gira. O caminho trilhado pelos espíritos ou mensageiros iluminados recebeu o mesmo nome. Portanto pode-se entender que a palavra gira signifique caminho de contacto sagrado entre os dois planos o material e o espiritual.
As giras contêm um ritual que possue as etapas: Abertura; Chamada de Linha; Passes ou Consultas; e Encerramento.
Para os participantes da corrente de trabalho (médiuns), existe uma preparação especial anterior ao momento da reunião.

ANTES DO DIA DE TRABALHO ESPIRITUAL

Os médiuns, integrantes da corrente espiritual, possuem obrigações antes, durante e depois dos trabalhos.

ANTES:
1) Todos os integrantes, em sua maioria, já receberam do nosso Mentor a informação sobre Pai e Mãe de Cabeça, ou seja os seus Orixás Protetores.
Cada Orixá possue ervas que devem ser utilizadas em banhos de limpeza e proteção, que precisam ser tomados três vezes por semana e inclusive na véspera do trabalho.

2) Acender uma vela branca para seu Anjo da Guarda pedindo proteção, fortalece o raciocínio e a percepção, quer dizer os guias se aproximam, incorporam e realizam suas tarefas com maior facilidade.

3) Usar roupa branca e adequada, quer dizer vestir um escudo que pode absorver a Luz Divina em toda a sua grandeza. Além de ser uma farda, pois somos o Exército de Oxalá na Terra, é sinal de imenso respeito pela missão de nossos protetores. Qual exército admite roupas inadequadas? Todos exigem a limpeza da roupa, o carinho com os detalhes representa imenso respeito e amor pela força que nos conduz pela espiritualidade. Adequada quer dizer também ser respeitosa, discreta, pois nossa religião assim merece ser lembrada.
Incluso nesta vestimenta está o Pano de Cabeça, uma toalha individual utilizada pelo médium em diversas ocasiões. Em dias de Saudação aos Arcanjos e Orixás, alguns deverão lavar a cabeça e envolvê-la com esta toalha. Mas mesmo em todos os dias de trabalhos é recomendável seu uso.

DURANTE:
Devemos conhecer as etapas do Ritual de Abertura e Encerramento dos Trabalhos. É essencial a participação de todos cantando, batendo palmas, além de sinal de amor e respeito, é homenagem sincera por todas as linhas de trabalho. O instrumento que usamos em nosso ritual é o atabaque, considerado parte fundamental que dá as direções dos trabalhos espirituais. É considerado como Orixá, intermediário entre nós e o Astral Superior, merecendo de todos o maior respeito. Aquele que toca o atabaque (tabaqueiro, ogan ) dá o ritmo dos cantos.

Aqueles que só cantam os pontos chamam-se CURIMBA. Na falta desse coral, todos os integrantes da corrente devem cantar harmoniosamente juntos.

Manter-se atento durante os trabalhos é de grande importância, pois os Espíritos que vêm trabalhar em terra merecem atenção necessária. Todos os tipos de mensagens são deixados para que saibamos melhor entender as lições que Oxalá nos manda, estamos constantemente aprendendo. Dispersar, falar sobre coisas diversas que não o conteúdo das mensagens é deixar correr para fora de nós o banho de Luz que podemos receber é o mesmo que ser indigno, ingrato aos amigos espirituais por toda a bênção que recebemos.

ORAI E VIGIAI!

 

RITUAL DOS TRABALHOS ESPIRITUAIS
DE NOSSA FRATERNIDADE

Nosso ritual foi organizado pelo Mentor de nossa Fraternidade, não devendo ser considerado como o mais acertado e sim correspondente às necessidades dos espíritos em forma ampla e desprovida de conflitos. Cada templo se adapta com as diretrizes de seus mentores, pois a unificação ainda não foi estabelecida. Assim sendo respeitamos as diferenças, porque existem conforme as determinações divinas e não temporais. O objetivo maior é a Prática da Caridade e Amor Fraterno.

 1) DEFUMAÇÃO - Purificação do ambiente e das pessoas.

Faz-se a defumação: do Altar onde estão as imagens; do atabaque e seu ogan; da orientadora espiritual; dos médiuns da corrente; da assistência; de todo o entorno dos trabalhos (quintal, salas de trabalho, caminho até a porteira); deixa-se o turíbulo* na porta do terreiro para defumar os que depois chegarem.

*(instrumento usado com carvão e incensos - alecrim, benjoim, incenso, sândalo, alfazema)

2) BATER CABEÇA

Trata-se da parte do ritual de abertura bater cabeça, ou seja, reverenciar as forças que estão para chegar tornando o chão em Lugar Sagrado. Em nossa cabeça (coroa), está a força de nossos Orixás Protetores, que humildemente reverencia somente o Astral Superior representado em nosso Congá (Altar onde estão as imagens dos Santos e as velas acesas que representam sua Luz presente).
Esta reverência é acompanhada de grande sinal de humildade perante os guias que nos protegem.

3) PRECE DE ABERTURA

Em nossa Casa possuímos 3 orações para Abertura de Trabalho:
PRECE DE CÁRITAS , INVOCAÇÃO DAS SETE LINHAS E ORAÇÃO PARA SANTA SARA KALI. Nesse momento todos deverão estar de joelhos na corrente, e em pé os que estiverem na assistência.

Após a leitura da Prece o canto de abertura

4) SAUDAÇÃO AOS EXUS

Todos voltados para o portão de entrada. Pedindo licença para a porteira ser fechada para os espíritos de baixa freqüência e garantir o bom andamento dos trabalhos.
Cada um saúda o Exu Guardião protetor da casa e o seu protetor.

5) CANTAMOS o HINO DA UMBANDA (J.M.ALVES)

6) LOUVAÇÃO para OXALÁ

7) PONTO para YANSà  Pedindo firmeza

8) PONTO de SAUDAÇÃO para as SETE LINHAS

De acordo com o calendário de trabalhos espirituais serão cantados os pontos de chamada, firmeza, agradecimento, confraternização. Em cada situação do trabalho se pede determinados cantos para firmar o local nas vibrações atraindo as melhores vibrações. Literalmente aqui é aplicado o dito popular "QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA".

Procurar a harmonia no canto não quer dizer que devemos ter aula de canto, e sim nos integrar ao grupo cantando seguindo o ritmo, porque embora poucos saibam cada vibração possui uma nota musical e entonação adequada.

Quando qualquer um dos irmãos aprender pontos diferentes ensine aos demais, é sempre bom cantarmos para nossos amigos espirituais.

9) Cantamos o ponto de Subida para as entidades incorporadas. Após realiza-se a Prece de Encerramento e em seguida o Ponto do Fechamento de Trabalho Espiritual.

10) Todos se retiram respeitosamente do espaço ocupado pelos médiuns e assistência, despedindo-se fraternalmente.

Em capítulos à parte serão descritos os tipos de trabalho e as linhas com as quais trabalhamos.

Giras de:
1)  Yorimá = Pretos Velhos  
2) Caboclos de todas as Linhas
3) Yori = Crianças
4) Linha do Oriente =  a ) Magia Egípcia ; b) Povo Cigano ; c) Corrente Médica do Espaço
5) Yemanjá = as Yabás com suas Caboclas e Marinheiros
6) Baianos e Boiadeiros
7) Exus Guardiões
8) Magia dos Antigos (estudos): Gregos; Romanos; Germânicos; Celtas

 

Topo



3

   
KimDesign