homecontato

Yorimá
e
Omulu

 

Deus originário do Daomé, Obaluaê ou Omulu, sua forma mais velha, são nomes que substituem o Xapanã, deus da varíola, das doenças contagiosas e da peste, aquele que pune os malfeitores, enviando-lhes todos os tipos de doenças.

Sua origem, assim como a de sua mãe, Nanã, está na cultura daomeana, assimilada pela cultura iorubá num lento processo de aculturação.

Quando o deus se manifesta em um de seus filhos, o sinal de respeito é constatado em todo o terreiro. O iniciado é coberto por uma roupa revestida de palha-da-Costa e um capuz feito do mesmo material. Leva nas mãos o xaxará, uma espécie de vassoura feita de folhas de palmeira e decorada com búzios, e cabaças contendo remédios que passa nos visitantes durante a dança mítica, afastando qualquer tipo de doença.

Em algumas vertentes da Umbanda é considerado Orixá tanto quanto no candomblé.

Em nossa Fraternidade aprendemos que no culto de Yorimá, como 4ª Linha, onde Omulu participa com as energias do elemento Terra juntamente com Arcanjo Cassiel, dirigindo a Linha dos Pretos Velhos.

A simbologia principal da Linha dos Pretos Velhos é o Triângulo e assim se subdivide em três etapas e funções.

Energeticamente a força de Omulu em sua principal nomenclatura traz a saúde, a cura do corpo e da alma.

Xapanã traz a sabedoria e a certeza que aquele que pratica o mal receberá o retorno de seus pensamentos e ações.

Obaluaê é a maturidade e sua consequente consciência do fechamento do ciclo da vida com a morte do corpo físico.

Para os ortodoxos em Orixás africanos não é aceitável essa reunião de várias religiões e entidades, e a Umbanda por nós praticada é considerada como universalista por conceber tal associação.

 Seja lá como Omulu, Preto Velho, São Lázaro, São Roque, São Bento, aprendemos em nossa Fraternidade que todas as nomenclaturas se voltam para o elemento terra. 

É somente a visão que aprendemos com os mentores e não condenamos ou discriminamos qualquer outra versão. Amamos nossos irmãos que trazem sua palavra de amor, humildade e tolerância.

Salve Omulu! Salve Yorimá! Salve OS Pretos Velhos!

Salve a Umbanda tão questionadora !

 

Sincretismo

Omulu = São Roque (16 de agosto)
Xapanã = São Bento (11 de julho)
Obaluaê = São Lázaro (17 de dezembro)

OBALUAÊ
("rei " senhor da terra)
Dia da semana: segunda-feira
Cores: branco (Paz e cura), preto (absorção de conhecimento) e/ou
Vermelho (atividade)
Saudação: Atotô! (Oto, "Silêncio!")
Elemento: terra
Domínio: saúde (doenças)
Instrumento: xaxará (espécie de bastão mágico)

 

Texto de Mãe Bebel

 

Topo



   
KimDesign